CAPEX e OPEX: o que são e diferenças

Subscrever Newsletter

Selecione os temas de seu interesse e assine nossa newsletter abaixo:

Subscription Type(Obrigatório)

No vasto universo financeiro e empresarial, existem termos e conceitos que servem como pilares para a tomada de decisões estratégicas. CAPEX e OPEX são dois desses termos, frequentemente mencionados quando se discute investimentos, custos e a saúde financeira de uma organização. Embora possam parecer jargões técnicos à primeira vista, compreender a natureza e a aplicação desses conceitos é fundamental para qualquer profissional ou empreendedor que deseja navegar com sucesso no mundo dos negócios.

CAPEX, ou Despesa de Capital, refere-se aos gastos significativos que uma empresa realiza para adquirir ou melhorar ativos físicos, como equipamentos ou imóveis. Por outro lado, OPEX, ou Despesa Operacional, abrange os custos recorrentes associados às operações diárias de uma empresa, como salários ou arrendamentos.

A distinção entre esses dois tipos de despesas não se limita apenas à sua definição. Ela tem implicações profundas na forma como uma empresa aloca os seus recursos, planeia o seu crescimento e avalia a sua lucratividade. Neste artigo, iremos analisar de forma mais aprofundada os detalhes de CAPEX e OPEX, desvendando a sua relevância e impacto no cenário empresarial contemporâneo. Seja um gestor, investidor ou simplesmente alguém curioso sobre finanças, este artigo irá oferecer insights valiosos sobre dois dos conceitos mais cruciais no mundo dos negócios. Vamos começar?

O que é o CAPEX?

CAPEX (em inglês, Capital Expenditure, ou despesas de capital em português) são os fundos que uma empresa utiliza adquirir bens físicos ou serviços que vão expandir a capacidade de a mesma gerar lucro.

Os ativos adquiridos podem ser uma nova posse ou algo que melhore a produtividade de algum equipamento, ou setor. Essas aquisições podem incluir, por exemplo, hardware (como impressoras ou computadores), veículos para transportar bens ou a construção de um novo prédio.

O tipo de indústria em que um negócio está inserido influencia amplamente na natureza das despesas de capital.

Se a vida útil de um bem se estende para além do ano fiscal, então a empresa deve capitalizar essa despesa utilizando amortização (no caso de propriedades intelectuais, como patentes) ou depreciação (no caso de bens tangíveis, como equipamentos), com o intuito de distribuir o custo desse bem sobre a sua vida útil designada pelos regulamentos fiscais.

👉 O que é Capital Expenditure (CAPEX)?

Exemplos práticos de despesas de capital:

Aquisição de iImóveis: Quando uma empresa compra um novo edifício para expandir as suas operações ou abrir uma nova filial.

Compra de maquinaria: A aquisição de novas máquinas para aumentar a capacidade de produção numa fábrica.

Investimento em tecnologia: Implementação de um novo sistema de TI ou atualização da infraestrutura tecnológica existente.

Desenvolvimento de produtos: Pesquisa e desenvolvimento para criar um produto ou melhorar um existente.

Renovação de instalações: Modernização de um espaço de escritório ou de uma instalação de produção.

Como calcular o CAPEX

Antes de explicar como calcular o CAPEX. É importante que conheça os dois tipos de CAPEX que existem:

  • CAPEX de manutenção: é conhecido como investimento de substituição. Por outras palavras, o investimento necessário para cobrir a deterioração e depreciação dos ativos fixos. Por conseguinte, poderia ser entendido como o investimento exigido pela empresa para manter o nível de vendas atuais.
  • CAPEX de Expansão: este é o investimento necessário em ativos fixos para aumentar o atual nível de vendas. Por outras palavras, o que a empresa investe para adquirir novos ativos fixos e/ou melhorar o atual.

Por conseguinte, o investimento CAPEX total da empresa será a soma dos dois anteriores. Como tal, uma empresa terá uma estratégia de expansão quando o nível total de Capex for superior à despesa de depreciação. Isto significa que investe não só para substituir ativos, mas também para os aumentar ou melhorar.

A fórmula para calcular o CAPEX é a seguinte:

Capex = Activo fixo tangível líquido (ano t) – Activo fixo tangível líquido (ano t-1) + Depreciação (ano t).

Por outras palavras, devem ser seguidos os seguintes passos para calcular o CAPEX:

  • Pegue no balanço da empresa no ano em curso e veja o valor do Ativo Fixo Líquido.
  • Subtrair o Ativo Fixo Líquido do balanço do ano anterior ao Ativo Fixo Líquido Corrente.
  • Ao resultado, acrescentar a despesa de depreciação deste ano a partir da declaração de rendimentos.

Benefícios e desafios associados ao CAPEX:

Benefícios:

Valorização de ativos: Investimentos em CAPEX podem aumentar o valor dos ativos da empresa, fortalecendo o seu balanço patrimonial.

Potencial de crescimento: A aquisição ou melhoria de ativos pode abrir novas oportunidades de mercado e aumentar a capacidade produtiva.

Benefícios fiscais: Em muitos países, as despesas de capital podem ser depreciadas ao longo do tempo, oferecendo vantagens fiscais.

Desafios:

Necessidade de capital elevado: Investimentos em CAPEX geralmente exigem uma grande quantidade de recursos financeiros iniciais.

Risco de investimento: Se o investimento não gerar os retornos esperados, pode resultar em perdas financeiras.

Gestão e manutenção: Ativos adquiridos ou melhorados podem exigir manutenção regular e gestão adequada para garantir a sua eficácia.

O que é o OPEX?

O OPEX (em inglês, OPerational EXpenditure, ou despesas operacionais em português) é o resultado dos custos contínuos que uma empresa tem para se manter em funcionamento. Em contraste com o CAPEX, as despesas operacionais são completamente dedutíveis de impostos no mesmo ano em que são realizadas.

Como despesas operacionais são o “grosso” dos gastos habituais de uma empresa, uma gestão bem-feita deve introduzir modos de diminuir esses gastos sem causar quedas na qualidade dos produtos e serviços ou na taxa de produção.

Alguns exemplos de despesas operacionais incluem: taxas de licenças, manutenção e reparos, publicidade, despesas de escritório, honorários de advogados, seguro, administração e taxas sobre a propriedade, despesas com viagens e veículos, locações, folha de pagamento e matérias-primas.

Como calcular o OPEX

O OPEX é calculado pela soma de todos os custos operacionais da empresa durante um determinado período. Normalmente é utilizado por um período de 1 ano. Com base nestes custos, é possível identificar qual o modelo mais adequado para a sua empresa.

Há duas maneiras de o fazer:

OPEX= Salários + comissões de vendas + despesas de publicidade + despesas de arrendamento + lucros.

OPEX= Receitas – rendimentos de exploração – COGS (Custo dos bens vendidos)

Exemplos práticos de despesas operacionais:

Salários e benefícios: Pagamentos feitos aos funcionários, incluindo salários, bónus e benefícios.

Arrendamento e utilidades: Custos associados ao arrendamento de espaços e ao uso de serviços como água, eletricidade e internet.

Materiais e suprimentos: Aquisição de materiais necessários para a produção ou prestação de serviços.

Marketing e publicidade: Gastos com campanhas publicitárias, promoções e outras atividades de marketing.

Manutenção e reparos: Custos associados à manutenção regular e reparos de equipamentos ou instalações.

Benefícios e desafios associados ao OPEX

Benefícios:

Flexibilidade financeira: As despesas operacionais podem ser ajustadas mais facilmente em resposta às mudanças nas condições de mercado ou nas necessidades da empresa.

Deduções fiscais: Em muitos sistemas fiscais, as despesas operacionais são dedutíveis no ano em que são incorridas, o que pode reduzir a carga tributária da empresa.

Operação contínua: O OPEX garante que a empresa tenha tudo o que precisa para as suas operações diárias, mantendo a continuidade dos negócios.

Desafios:

Gestão de custos: Sem uma gestão adequada, os custos operacionais podem escalar rapidamente e afetar a lucratividade.

Dependência de fluxo de caixa: Como o OPEX é recorrente, é essencial que a empresa tenha um fluxo de caixa estável para cobrir essas despesas.

Adaptação a mudanças: As empresas podem enfrentar desafios ao tentar reduzir ou modificar certas despesas operacionais em resposta a mudanças no ambiente de negócios.

Cálculo da diferença entre CAPEX e OPEX

Em resumo, CAPEX e OPEX diferem em termos de tempo de investimento, impactos fiscais e tempo de pagamento.

  • Tempo de investimento: CAPEX são investimentos a longo prazo, OPEX são despesas a curto prazo.
  • Tributação: CAPEX é deduzido para depreciação ao longo dos anos, OPEX é deduzido no mesmo período da sua realização.

Calendário de pagamento: CAPEX é pago no momento da compra, OPEX são despesas recorrentes da empresa.

Qual é a diferença, na prática?

Para compreender melhor a diferença entre CAPEX e OPEX, na prática, vejamos um exemplo:

Se uma indústria quiser lançar um novo produto no mercado, terá de contratar novos equipamentos e aumentar os custos com os fornecedores, para além das despesas de manutenção da produção que ocorrerão ao longo do tempo:

Todas as despesas são OPEX, uma vez que são necessárias para a produção do novo produto, para além de serem recorrentes.

No entanto, a empresa não tem capacidade disponível para satisfazer a procura de produção que este lançamento irá gerar. Por conseguinte, terá de expandir a capacidade de produção aumentando o espaço físico da fábrica e adquirindo novas máquinas. Este investimento inicial é conhecido como CAPEX (é pago apenas quando os bens são adquiridos e pode ser depreciado ao longo dos anos de utilização).

Diferenças entre CAPEX e OPEX

O mundo financeiro e empresarial é repleto de termos e conceitos que, embora possam parecer semelhantes à primeira vista, têm implicações distintas na gestão e nas finanças de uma empresa. CAPEX e OPEX são dois desses termos, e compreender as suas diferenças é crucial para qualquer profissional ou empreendedor. Vamos explorar essas diferenças detalhadamente:

Comparação direta dos dois conceitos:

Natureza da Despesa:

  • CAPEX: Refere-se a gastos significativos realizados para adquirir ou melhorar ativos físicos de longo prazo. É um investimento feito com a expectativa de retorno futuro.
  • OPEX: Engloba gastos recorrentes necessários para a operação diária de uma empresa. São despesas consumidas no curto prazo e não resultam na criação de um ativo tangível.

Duração:

  • CAPEX: Despesas de longo prazo que beneficiam a empresa por vários anos.
  • OPEX: Despesas de curto prazo, geralmente incorridas e pagas dentro de um ano fiscal.

Impacto no fluxo de caixa e na contabilidade das empresas:

  • CAPEX:
    • Reduz o fluxo de caixa livre quando o investimento é feito.
    • É capitalizado, ou seja, registado como um ativo no balanço patrimonial e depreciado ou amortizado ao longo do tempo.
  • OPEX:
    • Impacta diretamente o fluxo de caixa e a lucratividade no período em que é incorrido.
    • É deduzido diretamente da receita na Demonstração de Resultados (DR) do período em questão.

Implicações fiscais de cada tipo de despesa:

  • CAPEX:
    • Pode ser depreciado ou amortizado ao longo de vários anos, o que pode resultar em deduções fiscais ao longo do tempo.
    • Em alguns sistemas fiscais, certos investimentos de capital podem qualificar-se para incentivos fiscais ou créditos.
  • OPEX:
    • Geralmente é dedutível no ano em que é incorrido, reduzindo o lucro tributável da empresa para esse ano fiscal.
    • Não resulta em criação de ativos, portanto, não existem benefícios de depreciação associados.

Em resumo, enquanto CAPEX e OPEX são ambos essenciais para a operação e crescimento de uma empresa, eles têm implicações muito diferentes em termos de gestão financeira, contabilidade e tributação. Compreender essas diferenças é fundamental para a tomada de decisões informadas e para a otimização da saúde financeira de uma organização.

👉 Guia completo sobre como analisar uma empresa

A importância do CAPEX e OPEX na análise fundamental

Ao investir na bolsa de valores, é essencial ter uma compreensão clara dos fundamentos financeiros de uma empresa.

  • Influência no Fluxo de Caixa: Uma empresa com altos investimentos em CAPEX pode estar expandindo ou renovando seus ativos fixos. Isto pode indicar potencial de crescimento, mas também é vital verificar se esses investimentos estão gerando um retorno adequado. O OPEX, por outro lado, mostra os custos operacionais regulares da empresa. Um aumento constante no OPEX sem um crescimento correspondente nas receitas pode ser uma bandeira vermelha para os investidores.
  • Margem operacional: Ao considerar ambos, CAPEX e OPEX, os investidores podem ter uma visão clara da margem operacional da empresa. Uma boa margem indica que a empresa está gerenciando seus gastos efetivamente e tem potencial para gerar lucros.
  • Escolhendo a corretora certa Ao decidir investir em empresas listadas na bolsa portuguesa, é crucial escolher a broker adequada. Para uma lista das melhores corretoras para investir, veja o nosso artigo completo sobre as melhores corretoras para investimentos.

👉 Análise Fundamental: o que é e como funciona?

Está a procurar uma corretora para investir? Aqui estão algumas corretoras do mercado 👇

Comissões 0%
Ações e ETFs
Grande seleção
Ações, ETFs e opções de ações
Variedade de produtos
e plataformas
Várias plataformas
de negociação

Esta informação não é uma sugestão de investimento, e incentivamos que vbusque mais informações antes de tomar qualquer decisão.

Vantagens e desvantagens de CAPEX e OPEX

Tanto o CAPEX quanto o OPEX desempenham papéis cruciais na estrutura financeira e operacional de uma empresa. Cada abordagem apresenta com o seu conjunto de vantagens e desvantagens, e a decisão de onde alocar recursos pode ter implicações significativas para o futuro de uma organização. Vamos analisar os benefícios e riscos associados a cada tipo de despesa:

CAPEX (Despesa de Capital)

Vantagens:

  • Valorização de ativos: Investimentos em CAPEX podem aumentar o valor dos ativos da empresa, fortalecendo o seu balanço patrimonial.
  • Retorno de investimento: Despesas de capital, quando bem planeadas, têm o potencial de gerar retornos significativos ao longo do tempo.
  • Benefícios fiscais: A depreciação ou amortização de ativos ao longo do tempo pode oferecer deduções fiscais, reduzindo a carga tributária.

Desvantagens:

  • Elevado custo inicial: Investimentos em CAPEX geralmente exigem uma grande quantidade de recursos financeiros iniciais.
  • Risco de investimento: Se o investimento não gerar os retornos esperados, pode resultar em perdas financeiras.
  • Liquidez: Ativos adquiridos podem ser menos líquidos, tornando mais difícil para a empresa converter esses ativos em dinheiro rapidamente.

OPEX (Despesa Operacional)

Vantagens:

  • Flexibilidade: As despesas operacionais podem ser ajustadas mais facilmente em resposta às mudanças nas condições de mercado ou nas necessidades da empresa.
  • Deduções fiscais imediatas: O OPEX é dedutível no ano em que é incorrido, reduzindo o lucro tributável da empresa para esse ano fiscal.
  • Operação contínua: Garante que a empresa tem tudo o que precisa para as suas operações diárias, mantendo a continuidade dos negócios.

Desvantagens:

  • Custos recorrentes: Ao contrário do CAPEX, que é um gasto único, o OPEX é recorrente e pode aumentar com o tempo.
  • Sem acumulação de ativos: Despesas operacionais não resultam na criação ou aquisição de ativos de longo prazo que podem apreciar em valor.
  • Impacto na lucratividade: Elevados custos operacionais podem afetar a margem de lucro da empresa.

Que modelo escolher? Capex ou Opex

A decisão entre investir em CAPEX (Despesa de Capital) ou OPEX (Despesa Operacional) é uma das mais fundamentais no mundo dos negócios. Essa escolha pode moldar a trajetória financeira e operacional de uma empresa, influenciando a sua lucratividade, fluxo de caixa e posição no mercado. Exploraremos os fatores a considerar e as estratégias para otimizar a utilização de recursos:

Fatores a considerar ao tomar decisões financeiras:

Horizonte temporal: O CAPEX geralmente envolve investimentos de longo prazo que gerarão retorno ao longo dos anos, enquanto o OPEX refere-se a despesas recorrentes de curto prazo.

Liquidez e fluxo de caixa: Empresas com fluxo de caixa limitado podem preferir o OPEX para evitar grandes desembolsos iniciais. Por outro lado, empresas com reservas substanciais podem optar por CAPEX para investir em ativos que valorizem ao longo do tempo.

Objetivos estratégicos: Se a empresa está a procurar expandir ou inovar, pode ficar mais inclinada para investir em CAPEX. Se o foco é a operação diária e a manutenção, o OPEX pode ser mais apropriado.

Implicações fiscais: Dependendo da legislação local, podem existir incentivos fiscais para um tipo de despesa em detrimento do outro.

Riscos associados: O CAPEX pode ter riscos mais elevados devido ao comprometimento de grandes somas de dinheiro, enquanto o OPEX, sendo recorrente, pode afetar a lucratividade se não for bem gerido.

Estratégias para otimizar a utilização de recursos:

Análise de retorno sobre investimento (ROI): Avalie o potencial retorno de um investimento em CAPEX em comparação com os benefícios de curto prazo do OPEX.

Orçamento flexível: Estabeleça um orçamento que permita ajustes, dando à empresa a capacidade de alocar recursos conforme as necessidades mudam.

Revisão periódica: Realize revisões regulares das despesas para identificar áreas de otimização, seja reduzindo custos operacionais ou identificando oportunidades de investimento de capital.

Diversificação: Considere uma abordagem equilibrada, combinando CAPEX e OPEX, para diversificar riscos e aproveitar oportunidades em diferentes frentes.

Consultoria externa: Em casos de grandes investimentos ou decisões estratégicas, pode ser benéfico procurar a opinião de consultores financeiros ou especialistas da indústria.

Em conclusão, a decisão entre CAPEX e OPEX não é uma escolha binária, mas sim uma questão de equilíbrio e alinhamento com os objetivos da empresa. Uma gestão financeira astuta e estratégica pode ajudar a empresa a navegar por essas decisões, garantindo crescimento sustentável e sucesso a longo prazo.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF
Manual de Análise Fundamental

Este e-book irá ajudá-lo a aprender o que precisa de saber para começar com sucesso na análise e a avaliação das empresas cotadas em bolsa:

  • Noções básicas
  • Rácios relevantes da Análise Fundamental
  • Entendimento das demonstrações financeiras

Artigos Relacionados

Após dois anos fracos no mercado de IPOs, 2024 acena com um cenário mais otimista para os mercados financeiros. Dive...