O que são as Small Caps e como são classificadas?

O que são small caps e como são classificadas

Provavelmente já deve ter ouvido falar em Small Caps, não é mesmo? Talvez, dependendo do software que utiliza para operar nos mercados financeiros, ele até tenha uma sessão na qual os responsáveis classificaram aquele ativo como Small Cap. Mas afinal o que isso significa? O que é uma empresa Small Cap? O que leva uma organização a ser atribuída desta maneira? Os riscos são maiores ou menores do que as empresas “Blue Chips?

O que são as Small Caps e como são classificadas?

As empresas que têm suas ações classificadas como Small Caps, tem implicitamente um valor baixo de mercado, ou seja, são empresas que são consideradas menores em comparação com as grandes, mais conhecidas como Large Caps ou Blue Chips. Para que uma organização seja considerada como Small Cap, ela deve ter seu valor de mercado girando em torno de 300 milhões a 2 bilhões de Dólares.

Preferimos colocar a referência em dólares pois normalmente se tratam de ativos passíveis de negociação internacional, bastando que a conversão seja feita para nossa moeda corrente de acordo com a cotação da moeda naquele momento.

É importante ressaltar que não importa se essas empresas consideradas Small Caps são as líderes de seus setores, ou mesmo que faturem milhões. A variável que irá determinar sua classificação enquanto Small Cap é somente seu valor de mercado, ou seja, se levam essa classificação, elas são “pequenas” na bolsa de valores.

Uma característica que costuma ser observada nas Small Caps, é a de que elas tendem a possuir menor liquidez, pois como dito, são pequenas e por isso são pouco negociadas, tendo suas negociações diárias girando em torno de 700 mil a 1,5 milhões de dólares. Como são menos negociadas, elas têm maior potência de valorização do que as blue chips.

Os riscos e vantagens de investir nas Small Caps

Primeiramente, é importante ressaltar que nenhuma estratégia é infalível, mas as estratégias corretas podem maximizar os ganhos quando bem aplicadas. Como podemos imaginar, é provável que as empresas de menor capitalização poderão dar-nos um resultado melhor em momentos de crescimento económico ou mesmo decorrente da recuperação do que as maiores. Lembrando que o risco nesta última é consideravelmente maior. A razão disto é simples, o seu crescimento não está diretamente relacionado nem às taxas de juros nem aos principais fatores macroeconômicos .

Colocando de maneira fácil a ser entendido, as empresas consideradas Small Caps são como pequenos aviões teco teco, ou seja andam rápido e com mais precisão, enquanto as empresas blue chips são como boeings.

Processos dos mais simples aos mais complexos, decisões sobre o lançamento de novos produtos e serviços ou como se inserir no mercado tendem a ser tomadas e implementadas de maneira muito mais rápida nos pequenos players, com menos entraves administrativos em termos de burocracia, o que em grandes empresas percebemos o contrário. Portanto, quando a economia começa a sair da recessão e a crescer novamente, as small caps respondem ao ambiente positivo mais rapidamente e por isso possuem o potencial de crescimento mais elevado do que as large caps .

As pequenas empresas geralmente obtêm a maior parte do seu capital de investidores em ações, em vez de pedir dinheiro emprestado por meio de emissões de obrigações, “modus operandi” mais típico de empresas maiores. Portanto, cenários com taxas de juros mais altas têm um impacto menos negativo sobre a capacidade de crescimento das pequenas empresas, porque não dependem delas para expandir e financiar projetos.

Como faço para investir nesses ativos?

Existem três principais maneiras de investir em ações de small caps: por meio de fundos de índices (ETFs), diretamente no pregão, e por meio de fundos de investimento. Cada uma delas deverá ser considerada levando sempre em consideração o seu perfil enquanto investidor.

Ações de Small Caps

Uma das alternativas é comprar os papéis diretamente no pregão. Tecnicamente, o procedimento é absolutamente igual ao da compra de qualquer outro tipo de ação.

É preciso, antes de tudo, ter uma conta aberta em uma corretora de valores, instituição que executa as ordens de compra e venda repassadas pelos investidores. Para escolher uma delas, é necessário levar em consideração fatores como os custos (taxa de corretagem e custódia), a eficiência dos sistemas de negociação (home broker) e a qualidade do time de análise.

Especialmente no caso do investimento em small caps, vale a pena conferir se os analistas da corretora acompanham as ações de empresas do tipo. Como muitas vezes essas companhias não estão sob os holofotes, ter uma fonte de informação segura, confiável e recorrente sobre elas pode ser um diferencial.

Com a corretora escolhida e a compra aberta, os passos seguintes são escolher uma estratégia de investimento e as small caps que façam sentido dentro dela. Com os recursos transferidos, basta começar a enviar as ordens de compra e venda de ações e acompanhar o desempenho delas periodicamente.

ETF

Uma outra forma de investir em small caps é comprar fundos de índices, os famosos ETFs. Esses fundos replicam a carteira de índices, e suas cotas são negociadas no próprio pregão da bolsa como se fossem, elas mesmas, ações.

Uma vantagem neste meio de investimento é o custo. A taxa de administração dos ETFs de small caps disponíveis tende a ser menor se comparada com a média dos fundos de ações.

Fundos de Small Caps

Uma terceira alternativa para investidores interessados em ações de small caps são os fundos de investimentos tradicionais. Existem fundos de ações focados especificamente nesse tipo de empresa. Eles são agrupados em uma categoria específica que, em junho de 2020, somava um patrimônio de cerca de R$ 6,5 bilhões.

Esses fundos são administrados por gestores especializados, o que é uma vantagem para os investidores. Em vez de ele próprio ter de decidir que small caps comprar, quem investe por meio de fundos conta com o trabalho de um profissional dedicado exatamente a essa tarefa.

Os fundos são oferecidos nas corretoras de valores e não exigem que o investidor se cadastre para operar na bolsa, porque suas cotas são vendidas fora desse ambiente. As taxas de administração normalmente são mais altas que as dos ETFs, mas a comodidade de fazer o investimento dessa forma também é bem maior.

Como falamos acima, a forma de investir nas Small Caps deverá ser determinada pelo seu perfil de investidor. Você é ligado nas notícias? Tem conhecimento de mercado? Acompanha periodicamente os resultados de uma empresa? Essas são algumas das perguntas chaves as quais você deve responder antes de investir nas Small Caps.

Sobre o autor

Filipe Silva

Conteúdo – Rankia Portugal

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade