O que acontece se eu não usar o meu cartão de crédito? - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

O que acontece se eu não usar o meu cartão de crédito?

O que acontece se eu nao usar o meu cartao de credito

De que lhe serve ter um cartão de crédito se não tem intenção de o usar? É um pouco contraditório, mas pode ser uma realidade. Então, o que acontece se eu não usar o meu cartão de crédito?

Este artigo pretende ajudá-lo a perceber quais são as implicações de ter um cartão de crédito só a ocupar espaço na carteira.

Longe vão os dias em que ter um cartão de crédito era sinónimo de algum estatuto e modo de vida abastado. Apesar de continuar a ser preciso ter dinheiro, sobretudo para se ter acesso a um plafond interessante, um cartão de crédito já não é algo tão inacessível e proibitivo como era há uns anos.

Antes pelo contrário, o acesso a este tipo de crédito individual está, hoje em dia, bastante facilitado. Existem cartões de vários tipos e para diferentes utilizações – cartões com cash advance, milhas aéreas, com anuidade, sem anuidade, virtuais, dual -, enfim todo um manancial que torna a vida difícil (ou não) na hora de optar por uma qualquer modalidade.

Solução ou problema?

Mas a verdade é que esta é uma solução de crédito cada vez mais utilizada pelos portugueses.

Contudo, há ainda muitos utilizadores que apesar de terem à sua disposição um cartão de crédito, optam – consciente ou inconscientemente – por não o utilizar.

Seja por desconhecimento, seja por, simplesmente, não necessitarem há, de facto, quem tenha cartão de crédito e não usufrua desta lufada de ar fresco que esta ferramenta pode representar para a gestão do seu orçamento familiar.

Um dos motivos que ainda faz com que muita gente evite usar o cartão de crédito é o… medo. 

Sim, leu bem. O medo de não conseguir controlar o ímpeto capitalista e desatar a comprar tudo aquilo que pode e não pode.

Não é que se trate de um receio infundado, até porque o crédito malparado a nível dos utilizadores de cartões de crédito regista taxas elevadíssimas, e este deve ser mesmo o principal cuidado a ter na utilização de um cartão de crédito – equilíbrio!

Fazer uma utilização equilibrada, respeitando os limites e os prazos de pagamento é meio caminho andado para usufruir dos benefícios do cartão de crédito sem que este se transforme numa espiral de sucessivos incumprimentos.

Consequências de não usar o cartão

Da mesma forma que uma utilização desregrada pode levar a perda da titularidade de um cartão, para além de outras consequências mais graves em termos de multas e acesso a futuros créditos, a não utilização de certos cartões também leva a ‘sanções’ por parte das entidades de crédito que os emitem.

A emissão de um cartão, seja ele de débito ou de crédito, pressupõe um custo operacional que as empresas estimam e que esperam que venha a ser coberto com a utilização do cartão e com a cobrança das taxas que lhe estão associadas.

Mesmo os cartões que estão isentos de taxas de abertura ou de comissões de manutenção são pensados para que, por força do seu uso, e da cobrança das taxas de juro estes acabem por se pagar a si próprios.

Ora, quando um cliente a quem é concedido um cartão de crédito, por exemplo, na sequência de um crédito à habitação, algo que acontece frequentemente, e esse cliente, como não solicitou propriamente o cartão, não o utiliza, a entidade financeira está a suportar um custo que não lhe convém.

Daí que, por vezes, essas entidades estabelecem cláusulas nos seus contratos de concessão de cartões de crédito que ou obrigam à sua utilização periódica, ou determinam o seu cancelamento unilateralmente caso não seja efetuada nenhuma transação com o cartão.

Por outro lado, ao não utilizar o cartão de crédito, o cliente pode estar a precipitar que a empresa deixe de conceder um cartão ou que limite o crédito a um outro consumidor que poderia estar a tirar partido do cartão.

 

Assim, e para que não incorra neste risco e se veja privado de utilizar o seu cartão de crédito precisamente naquela altura em que até ia mesmo precisar, tenha atenção às seguintes situações:

  • Use-o, pelo menos, uma vez por mês, nem que seja para uma compra de baixo valor;
  • No mesmo sentido, evite ficar mais de 6 meses sem o utilizar; 
  • Procure respeitar os prazos de pagamento;
  • Evite suspeitas de atividades ilícitas, como jogos ilegais, ou outras;
  • Caso detete uma atividade anómala e fora do seu perfil de consumidor, comunique de imediato às entidades competentes; 
  • Esteja atento à validade do seu cartão e informe-se se há previsão dele ser descontinuado.

 

Resumindo, ter um cartão de crédito apenas para embelezar a carteira ou como forma de exibir status, está fora de moda e não é minimamente vantajoso. 

O mesmo acontece com ter muitos cartões: concentrar todas as despesas em apenas um cartão, permite-lhe gerir muito mais facilmente as suas finanças e, provavelmente, até obter mais benefícios.

Sobre o autor

Lucía Sánchez

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade