É hora de comprar o Facebook? - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

É hora de comprar o Facebook?

O Facebook (NASDAQ: FB ) está nas notícias pelos motivos errados hoje em dia. Está sendo amaldiçoado por seus utilizadores australianos depois de bloquear sites de notícias em sua plataforma para lutar contra uma proposta de lei que forçará o gigante da social midea e o Google (NASDAQ: GOOG ) a pagar aos editores do país pelo conteúdo de notícias.

O movimento surpreendente do Facebook desligou a principal fonte de notícias para quase um em cada cinco australianos, incluindo páginas do Facebook com conselhos de saúde pública sobre o coronavírus, avisos da agência meteorológica e até mesmo o site de um hospital infantil, de acordo com a Bloomberg.

Os 17 milhões de utilizadores da plataforma de social media na Austrália agora não podem compartilhar nenhuma notícia de editoras australianas ou internacionais. A mudança também priva os 2,8 bilhões de utilizadores do Facebook globalmente de compartilhar artigos de editores australianos.

A legislação, ainda em debate no parlamento, pode exigir que as empresas de social media digital paguem às agências de notícias pelos artigos que são compartilhados em suas redes. De acordo com uma proposta de lei da Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores, tanto o Google quanto o Facebook seriam obrigados a negociar com os editores de social media e compensá-los pelo conteúdo que aparece nos seus sites. Se aprovada e promulgada em sua forma atual, a lei australiana estabelecerá um precedente para outras jurisdições globais.

O Google, da Alphabet, por outro lado, tomou um caminho mais conciliador ao começar a fechar acordos de pagamento com as editoras. Tornou público um acordo global de três anos com a News Corp de Rupert Murdoch (NASDAQ: NWSA ) para pagar pelo conteúdo de notícias da editora, após vários acordos semelhantes que anunciou recentemente.

O Facebook compartilha um desempenho inferior

A batalha pública que esses gigantes da social media estão enfrentando na Austrália se soma às várias ações judiciais que foram movidas nos Estados Unidos e na União Europeia como parte do esforço para restringir os seus vastos impérios e monopólio sobre o mercado de busca na Internet e as social media.

Em dezembro, a Federal Trade Commission e 46 estados entraram com ações antitruste contra a empresa, acusando-a de comprar e congelar pequenas startups para sufocar a concorrência.

É difícil prever quando e de que forma esses desafios legais começarão a prejudicar os negócios do Facebook e sua capacidade de geração de caixa, mas é bastante óbvio que o FB está se tornando uma ação menos desejável de se possuir atualmente em meio a essas controvérsias e publicidade negativa.

Suas ações tiveram um desempenho muito inferior ao de outros nomes de social media, incluindo Google, Twitter (NYSE: TWTR ) e Snap (NYSE: SNAP ) este ano. O Facebook caiu 2% este ano, enquanto os três concorrentes viram os valores de suas ações subirem entre 20% e 35%.

facebook

Então, esta é uma batalha que o Facebook está achando difícil vencer e, consequentemente, perdendo a fé dos investidores?

Esse poderia ser o caso no curto prazo, mas mesmo com esses desafios regulatórios e políticos, há evidências muito fortes de que a empresa de Mark Zuckerberg e seus anúncios digitais estão emergindo fortemente da desaceleração alimentada pela pandemia. No último trimestre, o Facebook registrou receita e lucro recorde, à medida que as compras online de Natal dispararam, aumentando o uso das plataformas da empresa durante a pandemia.

Opinião dos analistas

As ações do Facebook provavelmente terão um desempenho inferior no curto prazo, já que a empresa luta ferozmente para proteger seu domínio de desafios políticos e regulatórios. Dito isso, a base de mais de 2 bilhões de assinantes da empresa e sua utilidade exclusiva para pequenas empresas continuam a tornar suas ações um investimento atraente no longo prazo.

Fonte: Investing

Sobre o autor

Henrique Garcia

Analista de Mercados

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade