Como investir no Metaverso? A mudança do facebook para META - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Como investir no Metaverso? A mudança do facebook para META

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Como investir no Metaverso? O futuro da internet está aqui.

Como investir no Metaverso? O Facebook muda o seu nome para Meta e promete criar um universo virtual chamado Metaverse que será algo como o filme Ready Player One. Não sabemos se Mark Zuckerberg enlouqueceu ou se isto pode realmente mudar as relações sociais através da Internet e de muitas maneiras, a economia.

A empresa Meta apresentou a ideia e anunciou pesados investimentos para a tornar real. Mas resta saber se outras empresas se juntarão ao esforço de criar as tecnologias que o tornem possível.

Porque ainda não temos as tecnologias que podem tornar o conceito real. Não temos dispositivos de realidade virtual que nos façam realmente mover como se estivéssemos dentro desse universo de uma forma realista.

Atualmente, o modelo de negócio do facebook baseia-se na publicidade e isto gera muitas receitas no momento. Mas ninguém sabe se este modelo de negócio ainda estará a gerar tanto lucro em 5 ou 10 anos. Assim, a ideia é investir no “Metaverso” como diversificação, inovação e evolução do negócio actual.

Esta ainda é uma “aposta” do Facebook. Estão a investir muitos milhões no Metaverso, mas é um processo a muito longo prazo e terá mais concorrentes e complicações. Se correr bem, poderá ser um ponto de viragem para a empresa, mas esta realidade está muito longe e o seu sucesso não é de modo algum garantido.

Ao longo dos próximos anos veremos serem lançados novos dispositivos que procuram ligar-nos a esta nova realidade virtual. Segundo Zuckerberg, as empresas não serão rentáveis com este modelo de negócio até ao final desta década. Disseram também que vão atribuir 50.000 milhões de dólares para torná-lo possível nos próximos 5 anos.

Se pensarmos no facto de que no início dos anos 2000 a Internet estava apenas a emergir, em 2010 começaram a aparecer smartphones e agora a inteligência artificial já está a ser desenvolvida, não creio que seja irrazoável pensar que uma grande parte desta visão do metaverso se tornará realidade.

rankia markets experience

O que é o Metaverso?

O Metaverso é um mundo virtual, ao qual nos ligaremos através de uma série de dispositivos que nos farão pensar que estamos realmente dentro dele, interagindo com todos os seus elementos. Será como teleportar para um mundo totalmente novo através de óculos de realidade virtual e outros acessórios que nos permitirão interagir com ele.

Soa futurista, não soa? Bem, não, este conceito tem sido flertado durante muitos anos no mundo literário e cinematográfico, com filmes como ‘Ready Player One' ou ‘The Surrogates'.

E o que é que o Facebook tem a ver com este mundo? Não posso acreditar que ainda não tenha ouvido falar disso… Recentemente o gigante dos media e CEO do Facebook anunciou que o Facebook Group mudará o seu nome para Metaverse como parte de uma estratégia de rebranding a longo prazo para a empresa, pois Mark Zuckerberg afirma que no futuro a sua plataforma irá mudar a forma como comunicamos uns com os outros.

A ideia é criar um universo paralelo e completamente virtual, ao qual poderemos aceder com dispositivos de realidade virtual e realidade aumentada, para podermos interagir uns com os outros dentro dele, e a partir do exterior com o conteúdo que temos dentro.

Outra das principais ideias do metaverso é que temos total liberdade de criação e a possibilidade de criar nela os nossos próprios negócios. Imagine poder caminhar pelas ruas da cidade Rankia, e poder conversar com os avatares virtuais de outras pessoas, que abriram lojas e oferecem-nos a oportunidade de experimentar e comprar roupas virtuais, um carro virtual, ou um apartamento virtual.

Pode também ter aplicações práticas, tais como reuniões de trabalho onde todos partilham um escritório virtual ligando-se de casa, e não tem sequer de se preocupar em se preparar para a reunião.

Um metaverso poderia também ter a sua própria economia. Talvez até possam ser criados empregos. “O que faz o seu filho para viver? Ele é o gerente de uma loja online no metaverso”.

Está com medo, está ansioso por um futuro assim? Muitos sentimentos podem saltar-lhe em cima neste momento, mas o futuro está aqui, mas quanto tempo até que seja realmente implementado nas nossas vidas?

Esta pergunta é tecnicamente impossível de responder. A empresa Meta apresentou a ideia e anunciou pesados investimentos para torná-la real. Mas resta saber se outras empresas se juntarão ao esforço de criar as tecnologias que o tornem possível.

Porque ainda não temos as tecnologias que podem tornar o conceito real. Não temos dispositivos de realidade virtual que nos façam realmente mover como se estivéssemos dentro desse universo de uma forma realista.

Atualmente, o modelo de negócio do facebook baseia-se na publicidade e isto gera muitas receitas no momento. Mas ninguém sabe se este modelo de negócio ainda estará a gerar tanto lucro em 5 ou 10 anos. Assim, a ideia é investir no “Metaverso” como diversificação, inovação e evolução do negócio actual.

Esta ainda é uma “aposta” do Facebook. Estão a investir muitos milhões no Metaverso, mas é um processo a muito longo prazo e terá mais concorrentes e complicações. Se correr bem, poderá ser um ponto de viragem para a empresa, mas esta realidade está muito longe e o seu sucesso não é de modo algum garantido.

Ao longo dos próximos anos veremos serem lançados novos dispositivos que procuram ligar-nos a esta nova realidade virtual. Segundo Zuckerberg, as empresas não serão rentáveis com este modelo de negócio até ao final da presente década. Disseram também que vão atribuir 50.000 milhões de dólares para torná-lo possível nos próximos 5 anos.

Se pensarmos no facto de que no início dos anos 2000 a Internet estava apenas a emergir, em 2010 começaram a aparecer smartphones e agora a inteligência artificial já está a ser desenvolvida, não creio que seja irrazoável pensar que uma grande parte desta visão do metaverso se tornará realidade.

Vamos ver o que o futuro nos reserva… Espere, espere, não vá ainda, vamos mostrar-lhe formas de investir para poder entrar neste olá antes de todos os outros.

Formas de investir no Metaverso

Analisaremos três formas de investir neste mundo ideal:

A primeira opção é investir em empresas que estejam a apostar no metaverso. E como poderia ser de outra forma, uma das melhores opções é investir no Meta, o antigo Facebook.

A segunda opção é investir em empresas de jogos de vídeo que já o estejam a implementar. Tem a empresa Epic Games ou Roblox que já estão a trabalhar com ela hoje.

A terceira e última opção que vamos analisar é investir em criptomoedas Graças à tecnologia de cadeias de bloqueio é mais fácil integrar este mundo virtual. As duas moedas criptográficas mais poderosas para investir no metaverso são o Protocolo de Boson e o Decentraland (MANA).

 

Leia também: “As melhores corretoras de Bolsa em Portugal 2021”.

 

 

Artigos Relacionados

Evergrande escapa à falência? Hoje falamos sobre as notícias! Os ursos à espera da grande queda nos mercados terão de esperar mais alguns dias. Pelo menos para ver se este gigante desencadeia a crise finance...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments