Tipos de impostos em Portugal: diretos e indiretos - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Tipos de impostos em Portugal: diretos e indiretos

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Tipos de impostos em Portugal: diretos e indiretos

Quais são os tipos de impostos em Portugal? Em geral, Portugal é um país da UE certamente não famoso por ter uma tributação favorável aos seus residentes. No entanto, nos últimos anos, tem sido capaz de desenvolver uma série de incentivos que levaram muitas pessoas de toda a Europa a se mudarem para o país. Essa lei tributária foi capaz de trazer riqueza para o país. Muitas pessoas que nunca teriam pago impostos no país mudaram-se para Portugal e gastaram o seu dinheiro. Com retorno positivo para toda a economia.

Os impostos diretos e indiretos têm grande importância na vida das pessoas, principalmente no que diz respeito às finanças pessoais. No pagamento de impostos, o segredo é fazer uma boa gestão ao longo do ano, para não perder os compromissos financeiros. Entre os vários impostos aplicados, a maioria já é conhecida e familiar às pessoas. Portanto, a aplicação dos tributos pode ser feita de duas formas: por via direta, com impacto no nível de renda individual; indiretamente, onde os recursos consumidos e utilizados nos mais diversos setores são tributados no dia a dia das famílias. É importante saber distinguir entre impostos diretos e indiretos, pois pode ajudá-lo a compreender melhor como o dinheiro é direcionado e como é utilizado.

Tipos de impostos em Portugal: diretos e indiretos

O que são impostos diretos

Os impostos diretos são calculados com base na renda, onde quem tem uma renda maior acaba a pagar uma taxa mais alta.

IRS: Imposto de Renda Individual

O imposto de renda de pessoa física é a tributação da renda recebida pelos trabalhadores e pelos proprietários de imóveis no mercado de locação.

Sobre essas mais-valias é calculada a taxa de imposto aplicada e, posteriormente, no momento da apresentação anual da declaração de rendimentos, o contribuinte sabe se tem algo a pagar, a receber ou não. Talvez o conhecimento mais próximo do IRS que as pessoas lidam com a taxa que incide sobre o salário recebido mensalmente.

IRC – Imposto de Renda Corporativo

Este imposto aplica-se a empresas. Todos os lucros que eles podem gerar estão sujeitos a tributação por meio desse imposto direto.

TSU – Taxa Social Única

Embora seja chamado de imposto, ainda é um imposto que afeta diretamente a renda dos trabalhadores. É um percentual que é descontado do salário, com o objetivo de contribuir para a sustentabilidade financeira da previdência social, garantindo posteriormente ao contribuinte o acesso ao gozo da aposentadoria.

IMI – Imposto municipal sobre imóveis

Quem tem residência permanente já sabe do recolhimento deste imposto direto. Sendo determinado e aplicado por cada município e município de Portugal, o valor a cobrar tem incidência direta no valor do imóvel.

O que são impostos indiretos

Outra grande contribuição fiscal dos cidadãos provém da aplicação dos chamados impostos indiretos. Estes são em maior número e são pagos de forma indireta através de produtos ou serviços.

IVA – Imposto sobre o Valor Acrescentado

Este será dos impostos indiretos, o mais conhecido da maioria das famílias portuguesas. Encontra-se praticamente em todos os produtos, bens e serviços variando apenas a taxa aplicada consoante a sua função e grau de importância. Em Portugal existem três taxas de IVA:  reduzida (6%); intermédia (13%) e a normal e genericamente aplicada (23%).

ISV – Imposto sobre Veículos

Os automóveis têm alguns impostos que se aplicam no momento da compra ou posteriormente. O ISV é cobrado na compra de um veículo automóvel ou motorizado, sendo tributado na primeira matrícula. Já o IUC – Imposto Único de Circulação, que veio substituir o “selo automóvel”, é pago anualmente.

Imposto de Selo

O Imposto de Selo é um imposto indireto que está representado em diversas operações bancárias. De sigla IS, este imposto indireto destina-se a cobrir os gastos com contratos, papéis ou outros materiais e trabalhos respeitantes a determinada operação. Geralmente, quando se aplica o IS não se aplica IVA.

ISP – Imposto sobre os Produtos Petrolíferos

Este imposto indireto também faz parte do dia a dia de quem usa o carro para fins profissionais e pessoais, já que é o imposto que tributa os combustíveis.
Estes são os impostos diretos e indiretos mais comumente aplicados e discutidos. Importante mesmo é ter conhecimento que tanto por via direta como por via indireta, o Estado constrói a sua receita fiscal com base na tributação destes impostos; tudo em prol do equilíbrio das finanças gerais.

Tipos de impostos diferença entre impostos indiretos e diretos

A diferença entre os dois é que os impostos diretos afetam a renda, ou seja, a riqueza quando é produzida, enquanto os impostos indiretos atingem a riqueza quando é gasta. Exemplos de impostos indiretos são: imposto sobre valor agregado (IVA). Diretos são aqueles que afetam as manifestações mais evidentes da capacidade de pagamento, como renda ou património; os impostos que afetam as manifestações menos evidentes da capacidade de pagamento são indiretos, ou seja, o consumo, as transferências, as trocas.

Artigos Relacionados

Regime administrativo ou regime declaratório? Todos os traders, para alcançar o máximo de ganho, além de escolher os ativos certos para investir deve saber otimizar fiscalmente o excedente derivado do invest...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments