Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Dicas de investimento na Bolsa de Valores

Subscrever Newsletter

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


A diferença entre jogar no mercado de ações e investir no mercado de ações é seguir uma série de diretrizes. Entre muitas das mesmas, podem ser encontradas as cinco seguintes. Estes concelhos foram dados por investidores mais experientes e reconhecidos, aqueles que demoram mais tempo certamente os reconhecerão. Mas para alguém que está no seu começo a investir no mercado de ações, as dicas listadas abaixo são básicas.

Como dizia Benjamin Graham…

Conseguir resultados de investimento satisfatórios é mais fácil do que a maioria das pessoas pensa; alcançar resultados superiores é muito mais difícil do que parece.

10 Dicas de investimento para iniciantes

1. Conheça a sua situação financeira

Antes de começar a investir, certifique-se de ter os fundos disponíveis para fazê-lo. Uma boa regra é ter pouco ou nenhum débito e ter um fundo de emergência. Idealmente, o montante do seu fundo de emergência não deve ser inferior às suas despesas para cobrir as suas necessidades básicas durante seis meses. Se atender a estes requisitos e tiver uma base financeira sólida, poderá estar pronto para começar a investir.

Economizar dinheiro e investir estão intimamente relacionados. Para investir dinheiro, é preciso primeiro economizar algum dinheiro. Isso levará muito menos tempo do que  pensa, e  pode fazer isso em pequenos passos.

2. Conheça a si mesmo

Quantas perdas está disposto a sofrer? É realmente um dinheiro extra que  não precisa por um tempo? Para que propósito  investe? Trata-se de um investimento de curto ou longo prazo? Como regra geral, para prazos mais curtos, escolha investimentos menos voláteis e mais “seguros”, como títulos ou outros instrumentos de renda fixa. Para prazos mais longos, além de cinco anos, é uma boa ideia investir em ações.

Uma equação bastante simples pela qual  pode determinar o seu nível de risco é a Regra de 120. Esta equação assume que um investidor mais jovem tem uma maior capacidade de gerenciar riscos do que um investidor mais velho, portanto, assume que o nível de risco diminui com a idade.

Vejamos um exemplo. Um investidor de 35 anos deve ter 85% (120-35= 85) da sua carteira em ações e os 15% restantes em títulos, enquanto um investidor de 70 anos deve ter 50% (120-70= 50) em ações e o restante em títulos. Assim, a cada ano que passa, o percentual investido em ações cai 1%.

3. Não invista em coisas que não sabe

O número de produtos financeiros oferecidos no mercado é infinito, desde ações até futuros, derivativos, opções, etc. Será que realmente entendemos todos esses instrumentos? Um dos mandamentos antes de investir é ter uma boa compreensão das características do produto no qual se deseja investir, o seu horizonte temporal, os riscos envolvidos, a moeda e o mercado no qual é negociado. Embora isto possa parecer senso comum,  ficaria surpreso como é fácil cair numa armadilha com as contas piscando diante dos seus olhos. Seguir cegamente o rebanho pode levá-lo ao ouro, mas provavelmente perderá dinheiro antes de ganhar.

4. Reúna informações de fontes oficiais

Tais decisões devem ser tomadas com calma e com a cabeça fria, coletando informações de várias fontes. No site da CMVM, pode ler prospetos oficiais de fundos, IPOs, fatos importantes, relatórios semestrais, informações financeiras, etc.

5. Diversificação

O mercado flutua constantemente para cima e para baixo. Para evitar perder muito dinheiro quando as ações caírem, certifique-se de ter uma carteira diversificada. Desta forma, terá alguns estoques que sobem, mesmo quando outros descendem. Diversificar entre ativos, setores e regiões.

6 Faça pagamentos regulares

Invista sistematicamente fazendo pequenos pagamentos regulares para se proteger das flutuações do mercado e se beneficiar dos juros compostos. A ideia é construir e acumular a sua riqueza gradualmente, de forma pré-determinada, o que significa menos esforço para atingir o seu objetivo. É também aqui que entra o conceito de economizar antecipadamente, controlando quanto e para quê.

7. Veja as comissões

O investimento tem custos. Os fundos de investimento cobram taxas anuais de cerca de 1%. Isso significa que perderá 1% dos seus lucros, independentemente de o desempenho do fundo ter sido bom ou ruim. O controlo das taxas é um determinante chave para retornos futuros a longo prazo.

Se quer investir na bolsa precisará de uma corretora, que também cobra comissão.

Procura uma corretora? Abaixo encontrará algumas corretoras da bolsa em Portugal:
Comissões 0%
Ações e ETFs
Comissões
baixas
Com mais de
1.5M de clientes

8. Controle as suas emoções

O maior obstáculo para vencer no mercado financeiro é a incapacidade de controlar as suas emoções e tomar decisões lógicas. A curto prazo, os preços da empresa refletem as emoções combinadas de toda a comunidade de investimentos. Quando a maioria dos investidores está preocupada com uma empresa, é provável que o preço das suas ações caia, enquanto quando eles têm expectativas positivas sobre o futuro da empresa, o seu preço tende a subir.

Estes movimentos de curto prazo são impulsionados por rumores, especulações, esperanças e emoções em vez de uma análise lógica e sistemática dos ativos, da administração e das perspetivas da empresa.

9. Estude e informe-se

É sempre bom estar a par do que acontece nos mercados. No Rankia encontrará guias, fóruns, artigos, webinars… que o ajudarão a aprender 0 e a estar atento às tendências do mercado.

10. Vá até um profissional para ajudá-lo a tomar uma decisão

Investir é uma nova habilidade. É preciso tempo e esforço para ler, pesquisar e encontrar um caminho seguro. Pode aprender com os seus erros, mas às vezes  precisa de um consultor financeiro para ajudá-lo a evitar erros e tirar o máximo proveito dos seus investimentos.

Dicas para investir na Bolsa de Valores

Dica 1:. Manter liquidez no portfólio

No início, quando começa a investir no mercado de ações, podemos sentir-nos tentados em investir todo o dinheiro que temos disponível  em liquidez, e mais ainda se as nossas primeiras operações estiverem a ser positivas. Embora, de repente, muitas empresas tenham  preços interessantes, não devemos investir em todas elas até que elas estejam 100% investidas. A melhor coisa a fazer é agir da mesma forma que os fundos de investimento, deixando uma percentagem do capital sempre em liquidez. Por quê? Primeiro porque, em algum momento de urgência, podemos precisar dessa liquidez que não seja invertida. Além disso, por mais que pensemos que estamos antes do piso do mercado e é hora de comprar tudo, não sendo adivinhos, podemos até estar no início de um ciclo de baixa.

Em suma, ter uma percentagem da carteira de caixa nos permite-nos aproveitar melhor as oportunidades oferecidas pelo mercado em todos os momentos. Obviamente, essa percentagem de dinheiro não precisa ser corrigida. Podemos variar dependendo das oportunidades oferecidas pelo mercado. Ou seja, para acumular liquidez quando há poucas oportunidades para quando se apresentam para tirar proveito delas.

Peter Lynch: Se não encontrar empresas atraentes para investir, guarde o dinheiro no banco até descobrir.

Dica 2: diversificar

Não só geograficamente e sectorialmente. Também é importante diversificar temporariamente. Isso significa fazer compras com o mesmo valor espaçado ao longo do tempo. Por exemplo, se pretendemos alocar X euros por um valor, pode ser interessante fazer duas compras em vez de uma e estarem espaçadas ao longo do tempo.

A vantagem de diversificar temporariamente é que se o preço cair, reduziremos a média, obtendo um preço de compra médio melhor. Se, pelo contrário, o preço subir, obteremos um preço pior. Portanto, dependendo do tipo de empresas em que investimos, isso pode funcionar melhor ou pior, não é o mesmo para investir em empresas de crescimento como em empresas maduras. Veja que, para alcançar a diversificação temporária, é necessário cumprir o Conselho número 1

Por outro lado, é a diversificação geográfica. Normalmente, as empresas que conhece melhor estão no mercado nacional e, portanto, na carteira é geralmente tendenciosa no mercado interno. Mas a diversificação geograficamente tem as suas vantagens porque podemos aceder setores sub-representados e economias diferentes. Em Espanha, existem grandes bancos, empresas de construção e empresas de energia, pelo que seria menos sensato buscar esses setores no exterior do que outros, como o setor de consumo, onde podemos encontrar grandes empresas como Unilever ou General Mills.

Stan Weinstein: Ao construir um portfólio deve usar o senso comum. Não coloque todos os ovos na mesma cesta. Mas não vá para a outra extremidade e use muitas cestas.

Dica 3: Invista em boas empresas

Se quiser investir no médio ou longo prazo, deverá investir em empresas sólidas, com bons fundamentos. Isso significa sempre procurar boas, empresas e com algum tipo de vantagem competitiva. Estas podem ter os seus altos e baixos e se entrarmos na parte superior do ciclo, se cumprimos os dois pontos acima, poderemos obter melhores preços de compra mais tarde, são empresas que conhecemos e que nos possibilitam dormir tranquilamente. Há aqueles que investem em empresas com péssimos fundamentos (muitas vezes inconscientemente) que tentam demolir preços na esperança de os duplicar rapidamente, onde você também pode perder tudo. Fazer este tipo de estratégias é mais como jogar no mercado de acções do que investir nele.

É muito mais fácil investir em empresas aborrecidas nas quais podemos dormir silenciosamente, ou em pequenas empresas e / ou pouco seguidas pelo público em que consideramos que o mercado não as valoriza corretamente. Finalmente, dizer que investir em boas empresas não é apenas investir em empresas com ROA, ROE, altas margens e baixa dívida. Embora quanto mais seja assim, melhor, cada setor é diferente e se queremos diversificar sectorialmente, temos que diferenciar as características de cada um deles.

Warren Buffett: compre empresas com uma boa história de lucro e uma posição dominante no negócio.

Dica 4: não investir a qualquer preço

É tão importante investir em boas empresas como não o fazer a qualquer custo. Devemos ser claros que nunca investiremos ao melhor preço possível e também sabemos que é melhor investir em boas empresas a preços medíocres do que em empresas regulares a bons preços. As boas empresas costumam ter uma tendência de alta a longo prazo e estão negociando em múltiplos (PER, EV / EBITDA, RPD). Nesses tipos de empresas, é difícil investir abaixo do preço que gostaríamos, mas se não investirmos para isso, podemos deixar de lado um investimento muito bom.

Por outro lado, há empresas de menor crescimento, mais estáveis, que geralmente crescem inorgânicos e geralmente pagam mais dividendos. Neste tipo de negócios, o preço geralmente está longe do valor intrínseco devido à euforia e ao medo do mercado. Aqui, o valor de múltiplos geralmente, é apenas indicar quando o preço é alto ou baixo em relação ao valor que deve ter.

É importante ter em mente que as empresas estáveis mudam pouco num ano, mas seu preço pode variar muito, e é algo que poderá ser aproveitado. A título de conclusão, este ponto significa ser claro sobre o conceito de subavaliação e sobreavaliação e como tirar proveito disso, conscientes de que nunca compraremos no chão nem venderemos no telhado. Muitas vezes, a subavaliação é dada numa época de pânico no mercado e sobrevalorização em tempos de euforia.

Warren Buffett: O investidor real é aquele que quer que as acções de uma empresa baixem, para que possam comprá-las mais baratas.

Dica 5: Invista para si mesmo, ignore as recomendações

Quando se trata de investir, é melhor analisar uma empresa, qualitativa e fundamentalmente. Isso pode nos levar mais ou menos a trabalhar dependendo do grau de análise que queremos fazer, mas é algo que deve ser feito e quanto mais tempo dedicarmos melhor serão as conclusões. O negócio também é influente, há empresas e setores muito mais fáceis de analisar do que outros, por isso é importante descartar aqueles que acharíamos muito difíceis de entender (geralmente farmacêuticos, financeiros e tecnológicos).

No entanto, podemos encontrar os pontos 1,2 e 4, mas se investimos sem análise prévia em empresas que nos recomendaram ou, porque são grandes e / ou conhecidas, podemos estar a investir em más empresas quando existem outras melhores.

Um também pode ser influenciado pelos media ou analistas de investimentos. Pessoalmente, não investiria com o conselho de nenhum deles. Outra coisa é que isso pode motivar uma análise própria e, finalmente, chegamos a uma conclusão adequada sobre se é uma boa companhia para investir, e se esta é subvalorizada ou sobrevalorizada. Por outro lado, encontramos fundos de investimento. Com relação a eles, nenhum deles investiria num valor porque alguns o tinham no portfólio, já que a maioria não bateu o seu benchmark. Há também a adição de que se nosso portfólio é pequeno e nós compramos um valor para um fundo feito, devemos saber que talvez o fundo não compre esse valor se tivesse que representar uma percentagem tão alta do portfólio. Além disso, não conhecemos o prazo para o qual espera manter. No entanto, se olharmos para os fundos apropriados, podemos encontrar empresas que, de outra forma, seriam difíceis de analisar.

Peter Lynch: Não siga os meus passos porque, mesmo que você consiga corrigir isso quando você compra, você não saberá quando vender.

5+1: atento a suas finanças pessoais e o seu perfil de risco

Acrescentamos um sexto e último conselho: se falámos de não investir todo o seu capital, aqui o matizamos; só deve investir o dinheiro poupado que não precisa a curto prazo, aquele que não precisa para enfrentar uma despesa imprevista ou um pagamento recorrente (para enfrentar este tipo de despesa, criar uma conta poupança separada). Cada investidor é um mundo: é por isso que também recomendamos que invista de acordo com o seu perfil de risco. E ler, treinar, resolver as suas dúvidas e fazer perguntas: esta é a única forma de aprender e compreender o mundo complexo do mercado de ações.

 

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF
Consent(Obrigatório)

Artigos Relacionados

Na bolsa de valores existem muitos índices. Um desses índices utilizado por investidores é o STOXX 600. Não é tão conhecido como o Nasdaq ou NYSE, mas, é importante entender o que é e como funciona. Neste ar...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments