Como funcionam os juros compostos?

Subscrever Newsletter

Selecione os temas de seu interesse e assine nossa newsletter abaixo:

Subscription Type(Obrigatório)

Um dos conceitos-chave para as nossas finanças é, sem dúvida, o de juros compostos. Esta ferramenta simples, mas poderosa, leva-nos rapidamente para o futuro, longe do ruído de curto prazo que muitas vezes sentimos nos mercados financeiros. Os juros compostos ou “juros sobre juros” permitem-nos obter rendimentos compostos ao longo do tempo, multiplicando sem esforço o nosso dinheiro.

O juro composto é um daqueles conceitos que passa sempre pela cabeça de qualquer investidor, mas que por vezes é esquecido, ao requerer a abundância de um requisito: tempo. E, infelizmente, estamos a ficar cada vez mais impacientes.

O que é o juro composto?

Desta forma, podemos definir os juros compostos como os juros que se acumulam sobre o capital inicial investido e sobre os juros acumulados e reinvestidos durante os períodos anteriores.

Os juros compostos surgem quando os juros são adicionados mais do que uma vez por ano, ou quando são cumulativos e reinvestidos, por exemplo, numa base mensal. É também comum em finanças e economia, e é frequentemente a pedra angular em que se baseiam as estratégias de investimento em valor a longo prazo.

Por isso, quando investimos, temos de ser claros quanto ao extraordinário poder dos juros compostos, uma vez que é crucial para o sucesso a longo prazo. Pelo facto de conduzir a rendimentos muito elevados ao longo do tempo, é frequentemente referido como “a magia dos juros compostos”. De facto, perguntaram uma vez a Albert Einstein qual era a força mais poderosa do Universo, ao que ele respondeu “juros compostos”.

Características dos juros compostos

O segredo dos juros compostos reside em duas chaves simples. Por um lado, a passagem do tempo e, por outro, a acumulação de juros. Ao contrário dos juros simples (em que, uma vez vencidos os juros, a totalidade do capital não é reinvestida), os juros compostos distinguem-se por:

  • Os juros são acrescentados ao capital inicial
  • O rendimento é aplicado a um capital crescente resultante da adição de juros.
  • O tempo, na sua essência, é o que lhe permitirá acumular muito capital, e cada vez mais automaticamente. O dinheiro cria dinheiro.

Por que é que os juros compostos o beneficiam?

Existe uma enorme diferença entre adicionar ou não juros ao capital inicial (juros compostos vs. juros simples). Quando obtemos um rendimento e deixamos que os ganhos se juntem ao saldo principal do investimento, podemos beneficiar de um aumento exponencial do nosso dinheiro com o mesmo esforço, ou seja, com a mesma taxa de juro.

O efeito de capitalização pode ocorrer em qualquer período, quer se trate de dias, semanas, meses ou anos. No entanto, quanto maior for o tempo em que o capital mais os juros se acumulam e rendem, maior será o efeito obtido.

É comum pensar-se que, para ganhar dinheiro investindo, o principal é obter um rendimento anual elevado, para bater o mercado. Mas, na realidade, a longo prazo, o mais importante não é a taxa de rendibilidade obtida (que também é importante), mas o tempo: quantas vezes o nosso capital pode ser reinvestido, isto é o que é realmente crucial para ganhar dinheiro. Um rendimento elevado num ano tem pouco valor se não conseguirmos manter essa taxa a longo prazo.

Leia também 👉 Juros compostos e juros simples: o que são e como usá-los

A fortuna de Warren Buffett e os juros compostos

A fortuna de Warren Buffett é um exemplo bem conhecido que não seria compreendido sem os juros compostos. Apesar de ter começado a investir aos 11 anos, afirmou que se arrepende de não ter começado mais cedo, pois a cada ano que passa a ação dos juros compostos torna-se mais poderosa.

Warren Buffett tornou-se multimilionário e é atualmente a quinta pessoa mais rica do mundo, segundo a Forbes, obtendo uma rendibilidade de 20% ao ano (uma rendibilidade muito elevada, mas que era muito mais elevada nos seus primórdios, ao ter diminuído, à medida que o seu capital cresce exponencialmente e, portanto, o seu universo de investimento diminui). Obviamente, é de salientar que não tem sido fácil, pois o próprio Warren teve de sofrer quedas acentuadas ao longo da sua carreira, chegando mesmo a atingir 80% em algumas acções… e aguentar

Ganhar a longo prazo com uma gestão ativa é difícil, e mesmo ganhar a longo prazo com uma gestão passiva e deixando os juros compostos atuar, é muito difícil do ponto de vista psicológico, pois o mercado é cíclico e, nos ciclos de baixa, os mercados podem descer 40% a 60% antes de continuarem a subir. Se decidirmos investir ativamente a longo prazo, é importante gerir o risco, diversificar e saber escolher as acções certas.

De facto, continuando com o exemplo de Warren Buffett, podemos ver como a sua carteira se tornou cada vez mais rica, e ainda mais nos últimos anos. E isso não se deve ao facto de ele ser um melhor investidor agora que é um nonagenário (podendo muito bem ser), mas porque conseguiu gerar e reinvestir enormes somas de juros, que agora geram enormes volumes de dinheiro.

Fórmula de juro composto – Como se calcula?

A fórmula dos juros compostos baseia-se no tempo e na acumulação de rendimentos. Por conseguinte, a fórmula para calcular os juros compostos é o montante do capital inicial vezes um mais a taxa de juro anual multiplicada pelo número de períodos compostos.

Em termos matemáticos, é expressa da seguinte forma:

Capital final = Capital inicial x (1+i) ^n

Ao contrário dos juros simples (em que Cf= Ci x i x t), nos juros compostos o elemento tempo é extremamente importante e afecta toda a equação, daí ser exponencial.

Elementos do juro composto.

Os elementos para o cálculo da fórmula dos juros compostos são os seguintes:

  • Capital inicial ou Ci
  • A taxa de juro ou rendimento anual, que designaremos por i
  • O período em que mantemos o investimento (n).

Aproveite a nossa Calculadora de Juros Compostos

No mundo dos investimentos, as ferramentas certas podem fazer uma grande diferença. Uma dessas ferramentas é a nossa Calculadora de Juros Compostos, desenvolvida para facilitar o seu entendimento e cálculos sobre este conceito fundamental.

Não espere mais! Aproveite agora a nossa Calculadora de Juros Compostos para descobrir o potencial dos seus investimentos 👉 Calculadora de juros compostos

A Regra do 72

Em finanças, existem algumas regras de ouro que podem simplificar complexas fórmulas matemáticas e conceitos, tornando-os mais acessíveis. Uma dessas regras é a Regra do 72, uma ferramenta simples, mas poderosa, para estimar o tempo que um investimento leva para dobrar, dada uma taxa de juros composta constante.

Explicação sobre a Regra do 72 e como ela se relaciona com juros compostos

A Regra do 72 é uma maneira rápida e fácil de calcular quanto tempo um investimento levará para dobrar, considerando uma taxa de juros composta fixa. Ela consiste em dividir o número 72 pela taxa de juros. Por exemplo, se você tem um investimento com uma taxa de juros composta anual de 6%, levará aproximadamente 12 anos (72 dividido por 6) para o seu investimento dobrar.

Essa regra é uma aproximação e se baseia na fórmula matemática dos juros compostos. Quanto mais perto a taxa de juros estiver de 8%, mais precisa será a regra. Para taxas significativamente mais altas ou mais baixas, a Regra do 72 pode ser menos precisa, mas ainda assim oferece uma boa estimativa.

Exemplos de como usar a Regra do 72

Consideremos alguns exemplos práticos de como usar a Regra do 72. Se tiver uma taxa de juros de 4% no seu investimento, conforme a Regra do 72, você dividirá 72 por 4, resultando em 18. Isso significa que levará cerca de 18 anos para o seu investimento dobrar.

Em outro exemplo, suponha que queira saber quantos anos levará para o seu investimento dobrar se a taxa de juros for de 9%. Seguindo a mesma regra, você divide 72 por 9, obtendo 8. Portanto, levará aproximadamente 8 anos para o seu investimento dobrar.

Essa regra simples pode ajudar a tomar decisões de investimento mais informadas, proporcionando uma compreensão clara do impacto dos juros compostos ao longo do tempo.

Vantagens dos Juros Compostos

Os juros compostos, muitas vezes referidos como a oitava maravilha do mundo, conseguem amplificar significativamente o crescimento dos seus investimentos ao longo do tempo. Mas quais são os benefícios específicos dos juros compostos para os investidores?

Como os juros compostos podem beneficiar os investidores?

Os juros compostos são os juros que ganha não apenas sobre o principal – o montante inicial que você investiu – mas também sobre os juros que já acumulou. Isso cria um efeito de ‘bola de neve’ onde os seus ganhos de investimento aceleram ao longo do tempo, à medida que você ganha juros sobre juros.

Um dos principais benefícios dos juros compostos é que eles podem significar uma grande diferença nos seus investimentos a longo prazo. Quanto mais tempo deixar o seu dinheiro investido, mais poderoso o efeito dos juros compostos se torna. Isso enfatiza a importância de começar a investir cedo e manter uma perspectiva de longo prazo.

Aplicação dos juros compostos nos investimentos

Os juros compostos são um dos conceitos mais fundamentais e poderosos em finanças e investimentos. O entendimento e aplicação eficaz deste conceito podem ter um impacto significativo no crescimento do seu investimento ao longo do tempo. Nesta secção, exploraremos como os juros compostos afectam os investimentos e fornecer exemplos de como são utilizados em diferentes tipos de investimentos.

Discussão de como os juros compostos afetam os investimentos

Os juros compostos são um princípio fundamental na gestão financeira e investimentos. São eles que permitem que o seu dinheiro cresça exponencialmente ao longo do tempo. Isto ocorre porque os juros são calculados não só sobre o capital inicial, mas também sobre os juros que foram acumulados no passado. Desta forma, se mantiver o seu dinheiro investido por longos períodos, o montante que terá no final será significativamente maior do que o valor que investiu inicialmente.

Exemplos de investimentos que utilizam juros compostos (ações, fundos de investimento, etc.)

Muitos tipos de investimentos beneficiam do efeito dos juros compostos. Investimentos em ações, por exemplo, oferecem o potencial de ganhos compostos, pois os dividendos que são reinvestidos podem gerar mais dividendos no futuro. Os fundos de investimento também aproveitam o poder dos juros compostos, pois os rendimentos gerados são reinvestidos no fundo, o que pode levar a um crescimento ainda maior do capital investido.

Dicas para maximizar o potencial dos juros compostos

Agora que entendemos o que são juros compostos e como eles afetam os nossos investimentos, aprenderemos como podemos tirar máximo proveito deles. Os juros compostos têm o potencial de multiplicar o seu dinheiro ao longo do tempo, mas é importante saber como maximizar esse potencial. Nesta secção, partilharemos conselhos valiosos e recursos úteis para maximizar o efeito dos juros compostos nos seus investimentos.

Dicas para tirar o máximo proveito do poder dos juros compostos nos seus investimentos

Para maximizar o potencial dos juros compostos, é importante começar a investir o quanto antes e manter os seus investimentos pelo maior tempo possível. Quanto mais cedo começar a investir, mais tempo o seu dinheiro terá para crescer através do efeito dos juros compostos. Outro conselho importante é reinvestir os rendimentos dos seus investimentos, pois isto também irá acelerar o crescimento do seu capital.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF

Artigos Relacionados

Neste artigo vamos ver um dos máximos de todo investidor em bolsa. Conseguir criar uma carteira de investimento que gere rendimentos passivos todos os meses, através de dividendos. Para isso, vamos dizer em ...
Após dois anos fracos no mercado de IPOs, 2024 acena com um cenário mais otimista para os mercados financeiros. Dive...